CUIABÁ

Siga nossas redes

'Decifra-me ou devoro-te'

Louva-deus machos desenvolveram um truque para evitar serem decapitados após o sexo

Publicado em

Meio Ambiente

Por Marlowe Hood e Eleonore Hugues
Publicado na ScienceAlert

Um louva-deus macho de Springbok a procura de uma parceira não precisa se preocupar com uma fêmea roubando seu coração.

No entanto, as fêmeas querem outra coisa: elas querem arrancar a cabeça dele e ele sabe disso.

Na verdade, 60 por cento dos encontros sexuais entre os Springboks – uma das quase 2.000 espécies de louva-deus em todo o mundo – terminam em machos sendo literalmente jantados.

“Os machos jogam roleta russa sempre que encontram fêmeas canibais”, explicou Nathan Burke, entomologista da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, e especialista em rituais de acasalamento dos louva-deus.

Todos os louva-deus machos mostram extrema cautela ao se aproximar de uma possível parceira. Difícil culpá-los.

Mas enquanto a maioria vai se aproximar sorrateiramente por trás ou distrair a fêmea com uma comida saborosa, o Springbok tem uma estratégia totalmente diferente – e até então não relatada – para permanecer vivo, de acordo com descobertas publicadas na quarta-feira na Biology Letters.

“Sob ameaça de ataque canibal, os machos tentam subjugar as fêmeas prendendo-as após lutas violentas”, disse Burke, coautor do estudo com o colega Gregory Holwell.

Louva-deus fêmea ferida por lutar com um macho. (© Dr Nathan W. Burke)

Os machos que ganham a guerra dos sexos têm muito mais probabilidade de conseguir consumar o relacionamento, “o que sugere que a luta é tanto uma tática de acasalamento quanto de sobrevivência”, acrescentou.

A chave para a vitória, de acordo com experimentos de lutas com 52 pares de louva-deus, foi o primeiro golpe.

Se o macho fosse mais rápido para o primeiro ataque e agarrasse a fêmea com suas patas dianteiras raptoriais serrilhadas, ele tinha 78 por cento de chance de escapar ileso.

E quando, além disso, o macho infligisse um ferimento sério, mas não fatal, no abdômen, ele mantinha a cabeça intacta.

“Fiquei muito surpreso ao descobrir que os machos ferem as fêmeas ao tentar subjugá-las para o acasalamento”, disse Burke. “Nada parecido jamais foi observado em louva-deus antes.”

Se a fêmea agarrasse o macho primeiro, no entanto, os machos sempre eram mortos e devorados.

Reprodução assexuada

No geral, os machos ficaram em primeiro lugar mais da metade das vezes nessas lutas, que duraram 13 segundos em média.

Ganhar a luta não levava automaticamente ao acasalamento – o acasalamento ocorria apenas em dois terços das vezes e, mesmo assim, o macho feria o abdômen da fêmea na metade das vezes.

O louva-deus de Springbok, de cor verde brilhante e também conhecido como Miomantis caffra, é nativo do sul da África, mas se espalhou para a Nova Zelândia, sul da Europa e Califórnia, nos Estados Unidos, provavelmente através do comércio de animais de estimação.

Os nutrientes ganhos quando uma fêmea de louva-deus come seu pretendente beneficiam sua prole à medida que elas crescem.

O canibalismo sexual – quando a fêmea de uma espécie consome o macho durante ou após o acasalamento – também é conhecido entre as aranhas, como a viúva negra e os escorpiões.

Normalmente os machos menores fazem o que podem para evitar serem engolidos, inclusive se fingem de morto.

Mas as fêmeas do louva-deus de Springbok têm outro truque na manga: a capacidade de se reproduzir assexuadamente, ou sem a ajuda dos machos.

“Eles podem produzir clones de si mesmos se não acasalarem”, disse Burke.

Ter esse substituto do Plano B levanta uma questão interessante: se as fêmeas são tão boas em canibalizar machos e podem se reproduzir sem a necessidade de sexo, como os machos continuam existindo?

“Isso é o que me motivou a olhar tão de perto as táticas de acasalamento dos machos”, disse Burke.

A teoria do conflito sexual, ele explicou, nos diz que os machos nessa situação devem desenvolver contra-medidas para ajudá-los a acasalar e permanecer relevantes.

E com certeza, foi isso que os pesquisadores descobriram.

“É um exemplo fascinante de como o conflito sexual pode levar à evolução das táticas de acasalamento que ajudam um sexo, mas atrapalham o outro.”

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Gallo diz que preço do gás em MT deve-se à margem de lucro das revendedoras: “Não é o ICMS”
Propaganda

Meio Ambiente

La Palma: lava aumenta e especialistas temem abertura de nova boca

Publicados

em

Por RTP

Os escoamentos de lava do Vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, atingiram nas últimas horas picos de alta velocidade. O Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias descreve-os como um “tsunami de lava”. Os sismos também aumentaram, tendo sido registrado um terremoto de 4,5 em La Palma, o maior até agora. Os especialistas temem a abertura de uma nova boca eruptiva.

Segundo o Instituto Geográfico Nacional espanhol (IGN), a atividade sísmica aumentou nas últimas horas na ilha, depois de, na quarta-feira (13) ter diminuído ligeiramente.

Só nesta sexta-feira, a ilha já sofreu mais de 20 terremotos, incluindo um de magnitude 4,5, o maior sentido até agora desde que começou a erupção do vulcão, há 26 dias. Um tremor da mesma magnitude já tinha sido sentido nessa quinta-feira, dia em que foram registrados 60 sismos no total.

No início da tarde de ontem (15), a lava transbordou do cone principal do vulcão, formando um rio de lava que atingiu picos de grande velocidade, colocando novos bairros em perigo. Em publicação no Twitter, o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias mostra a velocidade do rio de lava, que descreve como “tsunami de lava”.

Os especialistas mostram-se também preocupados com a deformação no terreno nas regiões de Jedey e Las Manchas, situadas mais ao sul do ponto eruptivo atual, que poderá indicar a hipótese de abertura de nova boca eruptiva.

As protuberâncias no terreno chegam aos cinco centímetros nessas áreas, o que indica que o magma está a subir e a pressionar as camadas superiores, segundo explica o jornal Levante. Os responsáveis pelo Plano de Proteção Especial Civil e Pronto Atendimento de Risco Vulcânico (Pevolca) acreditam que ainda é cedo para confirmar se essa pressão no subsolo pode culminar na formação de nova boca eruptiva e de novo vulcão próximo ao Cumbre Vieja.

Por enquanto, as autoridades iniciaram a retirada das pessoas que trabalham na área, para evitar situações de risco no caso de uma nova fenda se abrir repentinamente.

As autoridades determinaram ontem a retirada dos moradores de um novo bairro no município de Los Llanos de Aridane, na ilha de La Palma, devido ao avanço do último fluxo de lava gerado pela erupção do Cumbre Vieja.

Segundo fonte do governo regional das Canárias citada pela agência espanhola Efe, estima-se que essa nova retirada afete cerca de 15 moradores do local. Esta é a segunda evacuação em apenas 24 horas pelo avanço do novo deslizamento de terra que se formou, nos últimos, dias ao norte do principal, depois de cerca de 800 residentes do bairro de La Laguna terem sido orientados a abandonar suas casas na terça-feira (12) à tarde.

“Estamos, com toda a certeza, perante o vulcão mais grave que a Europa sofreu nos últimos 100 anos”, declarou o presidente das Canárias, Ángel Víctor Torres. “A única boa notícia é que até hoje não temos a lamentar danos pessoais”, acrescentou.

Os indicadores monitorados por cientistas no vulcão de La Palma, especialmente as de emissões de dióxido de enxofre, sugerem que o fim da erupção não vai acontecer a curto ou médio prazo, segundo a porta-voz do comitê científico do Pevolca.

A lava ocupa já área de quase 700 hectares e destruiu mais de 1,5 mil edifícios na ilha.

´´EBC“

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Geração de empregos no agro entre janeiro e maio tem melhor resultado desde 2012
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA