CUIABÁ

Siga nossas redes

GERAL

Mãe processa Tiktok após filha morrer fazendo “desafio do apagão”

Publicado em

GERAL

Após perder a sua filha Nyla Anderson, de 10 anos, que morreu em dezembro do ano passado ao realizar o “desafio do apagão” (chamado em inglês de “blackout challenge” ou “choking game”), a mãe da menina, Tawainna Anderson, resolveu processar o Tiktok por deixar que o perigoso jogo se popularizasse na plataforma.

Anderson e seus advogados anunciaram que deram entrada no processo na última quinta-feira (12) na Filadélfia, de acordo com a 6ABC, rede local da cidade dos EUA. A garota morava com a família no condado de Delaware.

O desafio, que estimula os desafiantes a tentarem segurar a respiração pela maior quantidade de tempo possível até eventual desmaio, acabou provocando a morte de várias crianças e jovens ao redor do mundo.

“Chegou a hora desses desafios perigosos tenham um fim para que outras famílias não tenham que sofrer a mesma devastação que a nossa família sente todos os dias”, afirmou a mãe de Nyla, segundo a 6ABC.

O advogado da família informa que eles querem entender como o algoritmo do Tiktok funciona ao permitir que esses desafios cheguem a crianças, dando um fim a isso.
Em nota, a companhia afirmou que sempre fica atenta à segurança dos usuários e remove qualquer conteúdo relacionado a esse tipo de desafio. Além disso, afirmou que esse desafio é anterior até mesmo ao surgimento da plataforma de vídeos e que nunca foi um desafio específico do Tiktok, buscando isentar a empresa de qualquer responsabilidade.

De fato, uma pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) aponta que, no período entre 1995 e 2007, 82 morte foram atribuídas ao desafio ou estrangulamentos análogos.

Leia Também:  Adolescente De 14 Anos Morre Após Acidente Gravíssimo Em Sinop

As redes sociais, no entanto, acabaram por popularizá-lo. Entre 2000 e 2015, a própria CDC estima que mais de 1.400 crianças e adolescentes tenham morrido de forma acidental por asfixia ou estrangulamento acidental, mas não faz relação direta com o “jogo do apagão”.

Com tantas mortes, nos EUA foi criada uma associação chamada GASP (games que jovens não devem jogar, na sigla em inglês) que busca especificamente o fim desses desafios. A entidade promove a conscientização e os perigos de jogos e desafios envolvendo a asfixia.

Por se tratar de um processo na área cível, o intuito é buscar uma indenização da empresa de tecnologia pela morte da garota. No entanto, os advogados não citaram qual valor estão buscando.

“MSN”

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

5G estreia no País na quarta-feira, com ativação de sinal em Brasília

Publicados

em

A internet móvel de quinta geração (5G)será liberada em Brasília na quarta-feira, 6, tornando a cidade a primeira do País a receber a nova tecnologia de comunicação. A próxima da lista deve ser Belo Horizonte. As informações foram compartilhadas nesta segunda-feira, 4, pelo conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Moisés Moreira, que preside o grupo responsável pela “limpeza” da faixa no ar por onde vão transitar os sinais de internet.

“A equipe técnica deu o ‘ok’, e Brasília será ligada dia 6. Brasília será a primeira capital do Brasil a ter o 5G efetivamente ativado”, disse Moreira, em apresentação durante o evento TeletimeTec, realizado na capital paulista.

Moreira convocou para esta segunda-feira, às 17h, uma reunião extraordinária do Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi). Na ocasião, a liberação do sinal de 5G será formalizada, algo que Moreira dá como praticamente certo. A expectativa é que as operadoras acionem imediatamente as suas redes para oferecer o 5G aos consumidores.

Leia Também:  Juliana Paes expõe motivos de saída da Globo e assume negligência com os filhos

O Gaispi está trabalhando para garantir a limpeza da faixa contra interferências, o que consiste na migração do sinal de TV por antenas parabólicas da atual frequência, na banda C, para uma nova frequência. Na prática, equipes de campo estão instalando filtros nos equipamentos para fazer esse “desvio” no sinal.

Projeto-piloto

A instalação dos filtros foi concluída em Brasília na última sexta-feira, dia 1º, segundo Moreira. A cidade saiu na frente porque havia por lá menos antenas a serem adaptadas em comparação com as demais capitais, explicou o conselheiro. Ao longo do fim de semana, foram feitos testes com a ativação parcial e controlada do 5G, e, mesmo assim, foram registradas interferências entre o sinal de internet e o de TV – o que exigiu novos ajustes técnicos.

Por isso, Brasília está sendo considerada um projeto-piloto para ativação do 5G. A partir da experiência no local, podem surgir novas exigências técnicas a serem implantadas nas próximas capitais. Moreira disse que Belo Horizonte tende a ser a próxima capital onde a nova geração de internet será ativada, seguida por Porto Alegre e São Paulo, mas ainda sem data. “Acredito que, depois de Brasília, as outras cidades virão com mais facilidade”, afirmou.

Leia Também:  Regina Duarte também convoca população para manifestação contra STF e Congresso

No fim das contas, a ativação do 5G em Brasília vai acontecer dentro do prazo, mesmo após as dificuldades logísticas enfrentadas recentemente. A ativação do 5G nas capitais estava original prevista para acontecer até 31 de julho, mas o Gaispi pediu a prorrogação por mais 60 dias – conforme previsto no edital de leilão das faixas – por causa da lentidão da chegada dos filtros importados da China. Moreira afirmou que o fluxo de aquisição dos equipamentos está sendo normalizado e não estão previstos novos atrasos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA