CUIABÁ

Siga nossas redes

Vergonha internacional

Sem vacina, Bolsonaro almoça em área externa de churrascaria

Publicado em

POLÍTICA

O presidente Jair Bolsonaro escolheu uma churrascaria brasileira para almoçar em Nova York nesta segunda-feira, 20. Bolsonaro não está vacinado, o que o impede de entrar na área interna de restaurantes. Ele ficou, portanto, em mesas na área externa da churrascaria Fogo de Chão, em frente ao Museu de Arte Moderna (MoMA). As mesas não podiam ser vistas a partir da rua porque foram cercadas pelo restaurante por um pano preto colocado para proteger a comitiva do presidente da visão dos pedestres.

O almoço aconteceu logo após a reunião de Bolsonaro com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson. Parte dos membros da comitiva brasileira que participaram da reunião seguiram para o almoço com Bolsonaro, como o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, e o chanceler Carlos França.

O mestre em jiu-jitsu Renzo Gracie foi ao restaurante para encontrar Bolsonaro e foi recebido com uma salva de palmas. Depois do almoço, Bolsonaro caminhou pela 5ª avenida de Nova York, onde estão as lojas de grife internacional, até o hotel onde está hospedado.

Nesta segunda-feira, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse para o presidente Jair Bolsonaro “não se incomodar” em viajar para a cidade, já que o brasileiro não está vacinado. Bolsonaro, por sua vez, está na cidade de Nova York desde domingo. Ele não precisa da autorização de De Blasio para viajar aos Estados Unidos, onde participa amanhã da abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas.

“Precisamos enviar uma mensagem a todos os líderes mundiais, incluindo, principalmente o Bolsonaro, do Brasil, que se você pretende vir aqui, você precisa ser vacinado. Se não quiser ser vacinado, não se incomode em vir, porque todos deveriam estar seguros juntos. Isso significa que todos precisam ser vacinados”, disse De Blasio em entrevista coletiva a jornalistas nesta segunda-feira, 20.

A cidade de Nova York instalou um ônibus na porta da ONU com agentes que fazem a aplicação de vacina contra covid-19 em diplomatas e jornalistas que participam do evento. “A grande maioria do pessoal das Nações Unidas, a grande maioria dos Estados-membros está fazendo a coisa certa”, disse De Blasio.

Não é a primeira vez que o prefeito democrata critica publicamente Bolsonaro. Ele já havia feito isso em 2019. Na ocasião, Bolsonaro alterou o destino de uma viagem que faria e deixou de ir a NY para visitar Dallas, no Texas.

‘Estadão Conteúdo’

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Trump testa lealdade de Pence com pressão para que vice derrube no Congresso a vitória de Biden
Propaganda

Justiça

Justiça manda associação e ex-servidores devolverem R$ 1,6 mi em Cuiabá

Publicados

em

Por Diego Frederici

A juíza da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular do Tribunal de Justiça (TJMT), Celia Regina Vidotti, mandou uma associação que prestava serviços em Cuiabá, além de duas servidoras, realizarem o pagamento de R$ 1,6 milhão. A determinação é oriunda ao cumprimento de uma sentença por atos de improbidade administrativa na implantação da chamada “Faixa Azul” – áreas destinadas ao estacionamento de veículos em locais públicos, mediante o pagamento de uma taxa.

A decisão da juíza é do último dia 13 de outubro. A devolução (R$ 1,6 milhão) é a soma das condenações da Associação de Gerenciamento de Projetos (A.G.P.), que deverá devolver R$ 800,2 mil, e das então coordenadoras do projeto Eliacir Pedrosa da Silva e

Natali Soares de Siqueira Xavier, que terão que devolver, respectivamente, R$ 353,2 mil e R$ 447 mil. A magistrada deu prazo de 15 dias para o pagamento.

Segundo informações do processo, irregularidades na implantação do sistema Faixa Azul em Cuiabá foram identificadas após a A.G.P. não repassar à prefeitura de Cuiabá os valores obtidos com a arrecadação dos motoristas que estacionam seus veículos em áreas públicas de Cuiabá. “Entre os meses de janeiro e setembro de 1995, a Associação de Gerenciamento de Projetos arrecadou com as vendas das folhas de estacionamento o montante de R$ 300.701,00, contudo, depositou na conta destinada aos valores arrecadados a importância de R$ 261.576,69, resultando em uma diferença de R$ 39.124,31”.   

Além de não repassar os valores, uma auditoria realizada no projeto apontou ainda que os condenados por improbidade administrativa também estão envolvidos em “pagamento de despesas cuja notas fiscais não possuem o nome do consumidor (A.G.P.); pagamento de notas fiscais em nome de terceiros; pagamentos indevidos de adicionais de insalubridade e periculosidade; pagamentos indevidos de gratificações; pagamentos indevidos de indenização adicional”, e outras irregularidades..

´´Folha/Max“

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Impedido de entrar em restaurantes de NY, Bolsonaro come pizza na rua
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA