CUIABÁ

Siga nossas redes

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que está viabilizando um empréstimo de U$ 80 milhões de dólares (cerca de R$ 400 milhões de reais) com o Banco Mundial, que serão investidos na agricultura familiar de Mato Grosso. Mauro disse que se lembrou que veio de uma família que trabalhava com agricultura familiar e que é seu dever estender a mão para estas famílias.

Governador busca empréstimo de R$ 400 mi com o Banco Mundial para investir na agricultura familiar

Publicado em

Agronegócios

Por Vinicius Mendes

O governador Mauro Mendes realizou nesta sexta-feira (08) a maior entrega de máquinas e equipamentos para a agricultura familiar e infraestrutura dos 141 municípios de Mato Grosso. Os investimentos integram o programa Mais MT e alcançam o montante de R$ 209 milhões. Na ocasião Mauro relatou que teve uma relação próxima com a agricultura familiar.
 
“Eu me lembro que na campanha nós estávamos um dia lá em Tangará da Serra, […] lá tem grupo de agricultores familiares, lá tem grupo grande, e começamos a falar, no meio da fala, não sei o que aconteceu lá, eu lembrei da senhora minha mãe, que já perdi há exatamente doze anos. […] Eu fui criado, meus amigos, no interior de Goiás, num sitiozinho de 27 hectares, muito pequeno, nove irmãos, agricultura familiar, nós tínhamos lá um tratorzinho Tobata […] era uma ferramenta que nós tínhamos. Arado de boi, eu puxei muita guia dos bois, porque era um dos mais novos, meus irmãos cuidavam do arado, eu fui criado na agricultura familiar. Aí eu estava lá em Tangará e eu vi um depoimento de uma senhora, não sei porque eu vi uma senhorinha lá e ela falou e aquilo me emocionou muito, e eu poucas vezes chorei, ali tive um momento, né? Que eu tive todas as minhas emoções afloradas”, contou Mauro.
 
Segundo o governador, à época ele não chegou a fazer promessas, mas se comprometeu a, caso fosse eleito governador de Mato Grosso, a ter um olhar especial para a agricultura familiar. Mauro disse esta entrega de maquinários é uma homenagem a seus pais e a milhares de mato-grossenses que vivem da agricultura familiar. Além das máquinas e equipamentos Mauro também afirmou que está viabilizando um investimento de R$ 400 milhões para esta área.
 
“Mas não para por aí, se vocês acham que R$ 106 milhões ou R$ 109 milhões é muito, esqueçam, nós estamos viabilizando junto ao Banco Mundial um financiamento de U$ 80 milhões, são R$ 400 milhões. […] nós vamos dobrar e vamos mudar a realidade, e muito, dessa agricultura familiar do estado do Mato Grosso. Porque eu sei que essas famílias, o que elas precisam é de um apoio. […] nós que fomos abençoados, vocês que foram abençoados, que tiveram a sorte, tiveram essa capacidade, nós temos o dever de olhar para tantos e tantas pessoas que, se tiverem empurrão, talvez construam uma história tão bonita como tantas histórias que tem neste Mato Grosso”, disse o governador.

´´Agro/Olhar“

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Veja 8 novas profissões do agronegócio em crescimento
Propaganda

Agronegócios

Produtores rurais de Colíder, reclamam de demora em fila para entrega de vasilhames de defensivos agrícolas

Publicados

em

De acordo com produtores rurais que entraram em contato com a nossa redação, a fila de carros chega a passar de 1 km e alguns estão lá desde as 5h da manhã de hoje.

Por Joel Teixeira

O TV Notícias recebeu a reclamação de produtores rurais de Colíder, que na manhã dessa quinta-feira (30) entregam vasilhames de defensivos agrícolas, utilizados por eles no controle de pragas em suas lavouras, durante o ano todo. A Associação das Revendas de Alta Floresta e Região é a unidade coletora com 27 lojas revendedoras de defensivos agrícolas associadas. Um produtor rural disse que a lentidão no recebimento é um abuso aos direitos do consumidor, ‘pagamos caro para ter o produto e passar por este constrangimento. A devolução é ecologicamente correta, está na bula do produto, que o recolhimento deve ser feito onde o compramos, porém, a maneira pela qual estão recolhendo, torna-se um abuso ao consumidor. O problema é que essa associação fica apenas dois dias na cidade, argumentou”.

Fila formada pro produtores rurais de Colíder, ao lado da Agrocol para entrega das embalagens usadas

O outro lado

O TV Notícias falou com a gestora da Associação coletora, Lurian Mayara dos Santos Andrade, ela disse que o recolhimento está dentro da normalidade e que faz esse ano, a coleta também do ano passado que não foi feita por causa da pandemia, “na verdade está acontecendo bem rápido e, ano passado não teve devido a pandemia. O que acontece é que os produtores querem que seja tudo muito rápido e na hora, mas é preciso uma organização; muitos estão reclamando, mas muitos estão elogiando também, explicou.

Embalagens de agrotóxicos preparadas para reciclagem.

O destino das embalagens recolhidas

De acordo com a gestora Lurian Mayara, o produtor é responsável por fazer tríplice lavagem nas embalagens, secá-las e separá-las das tampas, após esse procedimento, são guardadas até serem recolhidas pela Associação das Revendas de Alta Floresta e Região. O procedimento de recolha dos recicláveis é feito uma vez por ano.

Ainda de acordo com a Associação, as embalagens recolhidas, são enviadas para uma central em Sinop, a 315 km de Alta Floresta, lá as embalagens são separadas por tipo, prensadas e enviadas para uma fábrica de reciclagem.

Legislação

O Brasil é um dos maiores consumidores de defensivos agrícolas no mundo. A maioria deles é usada no controle de pragas da monocultura (produções de soja por exemplo). Por isso há legislação consistente e fiscalização atuante ao setor produtivo agrícola.

Esquema de coleta

Saem da loja sob responsabilidade do produtor → tríplice lavagem → transporte da zona rural até o centro coletor → recebimento no centro coletor → armazenamento neste centro até determinado nível de estoque → recolhimento por parte da indústria para ser dada a destinação final.

Responsabilidade

Resolução Conama 465/2014

De acordo com a legislação federal, cada participante do sistema de logística reversa de embalagens de agrotóxicos tem o seu papel bem definido dentro das responsabilidades compartilhadas.

Conforme o Decreto 4074/02:

A destinação de embalagens vazias e de sobras de agrotóxicos e afins deverá atender às recomendações técnicas apresentadas na bula ou folheto complementar, adquirido junto a compra do produto. Os usuários de agrotóxicos e afins deverão efetuar a devolução das embalagens vazias, e respectivas tampas, aos estabelecimentos comerciais em que foram adquiridos, no prazo de até um ano, contado da data de sua compra.

 

Leia Também:  Supremo decide que cabe ao plenário analisar anulação das condenações de Lula

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA