CUIABÁ

Siga nossas redes

Brasil

A indicação do cargo é prerrogativa do presidente. Agora, cabe ao Senado sabatinar o indicado

Publicado em

POLÍTICA

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais nesta terça-feira (20/7) para anunciar que enviou ao Senado Federal uma mensagem propondo a recondução de Augusto Aras como Procurador-Geral da República.

“Encaminhei ao Senado Federal mensagem na qual proponho a recondução ao cargo de Procurador-Geral da República o Sr. Antônio Augusto Aras”, escreveu o presidente.
 
A indicação do cargo é prerrogativa do presidente. Agora, cabe ao Senado sabatinar o indicado, na  Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e em seguida, aprovar ou rejeitar a nomeação. 
Para ser aceito de novo, Aras precisa de pelo menos 41 votos favoráveis.
Aras foi indicado pela primeira vez por Bolsonaro para assumir o comando do Ministério Público Federal em setembro de 2019.
“ESTADO DE MINAS”
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Derf apreende armas, munições e dinheiro durante operação que prendeu um dos líderes do CV em MT
Propaganda

POLÍTICA

Brasil teve 939 registros de crimes eleitorais e 307 prisões

Publicados

em

Balanço da Operação Eleições 2022 divulgado às 17h pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública contabiliza 939 crimes eleitorais e 307 prisões em todo o país neste domingo (2) de eleições. Foram 233 registros de crimes de boca de urna e 149 de compra de votos/corrupção eleitoral. Há, ainda, 33 casos de violação ou tentativa de violação do sigilo do voto.

O estado com maior número de flagrantes de crimes eleitorais é Minas Gerais, com 97 registros. Goiás e Paraná tiveram 91 registros de prisão, cada. Acre vem na sequência com 72 flagrantes de crimes, seguido do Pará e do Rio de Janeiro, ambos com 60 registros.

Das 307 prisões, 38 foram registradas em Roraima; 32 no Amazonas; 30 no Pará; 25 em Minas Gerais; e 24 no Acre e no Amapá. Foram 40 casos de transporte irregular de eleitores, dos quais 11 no Pará; seis no Amazonas; e cinco no Rio Grande do Norte.

Os estados com mais registros de boca de urna são Paraná e Goiás – ambos com 28 registros. Na sequência vem Acre e Minas Gerais, com 23 ocorrências cada; Rio de Janeiro (21); Mato Grosso (15) e Santa Catarina (13).

Leia Também:  ONU pede que bancos deixem de financiar projetos de combustível fóssil

Até o momento, R$ 1,969 milhão foi apreendido com suspeitos. No Paraná foram apreendidos R$ 700 mil. No Piauí, mais R$ 383,8 mil; e em Roraima, R$ 207 mil. Ao todo, 11 armas foram apreendidas próximas aos locais de votação.

Dos 74 crimes comuns cometidos em locais de votação, 64 foram contra candidatos. O Rio de Janeiro é o estado com maior quantidade deste tipo de crime (24), com uma incidência quatro vezes maior do que a do segundo lugar, que foi Goiás, com seis ocorrências. Em terceiro lugar está o Ceará, com cinco registro de crimes contra candidatos.

Dos 20 casos de falta de energia elétrica nos locais de votação, nove foram em Minas Gerais; quatro no Piauí; três no Amazonas. Bahia, Distrito Federal, Espirito Santo e Maranhão registraram um caso, cada.

Ainda segundo o balanço do ministério, até o momento foram registrados 92 incidentes de segurança pública e defesa civil. Em Minas Gerais foram 31 incidentes. Goiás e Piauí tiveram 13 incidentes, cada, seguidos de Pernambuco (6).

Leia Também:  ‘O tiro vai sair pela culatra’, diz Eduardo Bolsonaro sobre decisão de Moraes contra empresários

“EBC”

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA