CUIABÁ

Siga nossas redes

"NA SAÚDE E NA DOENÇA"

O empresário Jarcedi Hahn, morador de Sapezal, refaz toda manhã a rotina que tem em casa com a esposa Cristiane Fagundes, internada no Hospital Metropolitano.

Publicado em

CIDADES

O empresário Jarcedi Hahn, morador de Sapezal (480 km da Capital), há quase duas semanas passa as manhãs sentado numa cadeira de praia no gramado em frente ao Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, ‘esperando’ pela esposa Cristiane Fagundes Hahn, internada com covid na unidade de saúde.

Jarcedi coloca uma segunda cadeira a seu lado, leva chimarrão e fica ali sentado aguardando a esposa voltar e fazer companhia a ele.

Cristiane descobriu a infecção há duas semanas, ainda em Sapezal. Teve o quadro clínico agravado e foi transferida para o Metropolitano no dia 11, onde segue o tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), referência no tratamento de covid.

Jarcedi acompanha a esposa, em Várzea Grande, e todos os dias pela manhã refaz o ‘ritual’ que o casal tem em sua rotina em casa.

“Toda manhã a gente levanta cedo e antes de trabalhar fazemos algum serviço da casa e sentamos para tomar um chimarrão, conversamos sobre o dia, o que vai ser feito, planejamos algumas coisas. Essa cadeira é para representá-la. É uma forma de lembrar dela, eu sinto que ela está aqui, vou deixar a cadeira vazia até o dia em que ela voltar a sentar aqui para tomar um chimarrão”, disse emocionado.

O empresário, que tem três filhos com Cristiane, afirma que ela está bem cuidada na unidade de saúde, porém, relata o sentimento de ‘impotência’ e que a única opção é confiar nos médicos.

“Ela está sendo bem cuidada pelos boletins dos médicos, mas a gente se sente impotente, não tem o que fazer é só esperar, confiar em Deus e nos médicos. Eles estão fazendo a parte deles, mas é uma doença muito traiçoeira”, contou.

Jarcedi acredita que, apesar de todas as perdas e sofrimento, a pandemia vai ensinar as pessoas a ter mais amor, dar mais valor ao próximo e unir as famílias. Além de fazer a saúde avançar devido a tudo que foi investido na luta contra a covid.

“Essa pandemia vai passar, vai deixar um rastro de destruição, mas também de amor e, ao mesmo tempo, porque está unindo as famílias. As pessoas estão dando valor ao outro. A saúde pública vai melhorar muito, vai estar muito bem equipada e esperamos que os governantes não deixem destruir o que estão montando agora”, disse.

“REPÓRTER MT”

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mãe e padrasto torturam e matam menino de 2 anos na Paraíba
Propaganda

CIDADES

Motorista de caminhão faz ultrapassagem perigosa, bate em Hilux e mata mãe e filha de Colíder

Publicados

em

De acordo com informações da Polícia Judiciária Civil de Castelo dos Sonhos – PA, através do investigador Marquezzan de Freitas Silva, Deysiane Sudré Fogliatto de 29 anos conduzia uma caminhonete hillux preta placas OBC 6000 de Colíder -MT, levava juntamente com ela no veículo as duas filhas, Rafaela Sudré Fogliato de 6 anos e Sofia Sudré Fogliato de 3 anos, quando por volta das 17h08, dessa quinta-feira (22) foram vítimas de um acidente na BR 163, a 100 KM de Guarantã do Norte, sentido Castelo dos Sonhos – PA, na região da Serra do Cachimbo.
Uma carreta Scania 440 cor prata, placas HNV 5887, reboques AWL 0890 e AXU 8659 conduzida por Bruno Rodrigues Martins, vinha no sentido contrário, teria feito uma ultrapassagem proibida, invadiu a pista contrária e bateu de frente com a caminhonete. Deysiane e a filha mais velha, Rafaela não resistiram aos ferimentos e morreram, a pequena Sofia, teve escoriações leves pelo corpo e sobreviveu. Após o acidente, o motorista da carreta, evadiu-se do local, sem prestar socorro às vítimas.
O fato chocou a cidade de Colíder no Nortão de Mato Grosso, de onde as vítimas eram oriundas, pois Deysiane era enfermeira, muito conhecida e, parente de pioneiros no município.

“Joel Teixeira e Eder Rodrigues”

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mãe e padrasto torturam e matam menino de 2 anos na Paraíba
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA