CUIABÁ

Siga nossas redes

MORTE NO ALPHAVILLE

Na decisão, o juiz Lídio Modesto da Silva Filho determinou um prazo de cinco dias para que Glauco Fernando também possa reaver as armas apreendidas.

Publicado em

CIDADES

A Justiça extinguiu a punibilidade do empresário Glauco Fernando Mesquita Correa da Costa, proprietário da arma que tirou a vida da adolescente Isabele Ramos, no Condomínio Alphaville, em julho de 2020.

A decisão foi do juiz Lídio Modesto da Silva Filho, do Juizado Especial Criminal Unificado de Cuiabá, publicada no último dia 15.

“Considerando que o autuado Glauco Fernando Mesquita Correa da Costa, cumpriu integralmente a transação penal imposta, atento, ainda, ao parecer ministerial, extingo a punibilidade do agente, nos termos do art. 84, parágrafo único, da Lei 9.099/95”, diz trecho de decisão.

Isabele foi executada com um tiro na cabeça no dia 12 de julho de 2020, no bairro Jardim Itália. A pistola Imbel de propriedade do empresário, utilizada no crime, foi entregue para a autora, pelo filho dele. Na época, os dois menores tinham um relacionamento.

De acordo com o processo, o Ministério Público Estadual (MPE) propôs o pagamento de 100 salários mínimos. No entanto, a defesa de Glauco requereu a readequação do valor, tendo em vista as dificuldades financeiras enfrentadas pelo cliente.

O REPÓRTER MT apurou que o empresário pagou R$ 40 mil. A pena aplicada na transação penal não tem caráter de punição, mas sim de uma medida penal aceita voluntariamente pelo autor do fato para evitar o processo.

Ainda conforme decisão, o magistrado determinou um prazo de cinco dias para que Glauco possa reaver as armas.

“Por fim, em relação aos bens apreendidos e pendentes de restituição, determino a intimação do proprietário ou possuidor para que compareça a fim de RETIRAR os objetos no prazo de 05 (cinco) dias, apresentando documento que comprove a propriedade, sob pena de perdimento. Advirto-o que caso opte por nomear procurador, este deverá possuir com poderes específicos para restituição do bem, declarado na procuração. Decorrido o prazo, decreto desde já o perdimento e determino a destinação ou destruição, conforme o estado e utilidade do bem”, determinou magistrado.

Filho condenado

O filho de Glauco foi condenado por ato infracional análogo ao porte ilegal de arma de fogo, em fevereiro pela Justiça de Mato Grosso.

Ele foi sentenciado a seis meses de prestação de serviços comunitários por quatro horas semanais.

Conforme a decisão, ele também ficará em liberdade assistida por um ano, enfrentando restrições como não poder sair de casa entre às 19h e às 6h.

“REPÓRTER MT”

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Após receber alta, Bolsonaro chega a Brasília
Propaganda

CIDADES

Jovem vítima de paulada após brincadeira, morre em hospital

Publicados

em

Arão Leite

Um jovem que levou uma pancada na cabeça após uma suposta brincadeira mal interpretada acabou morrendo depois de pelo menos 20 dias internado. O Corpo de Júnior Martins foi encaminhado à Polícia Técnica ainda na quinta-feira onde passou por exames de necropsia e depois foi liberado para velório e sepultamento.

O caso chocou principalmente familiares e amigos. Júnior, segundo informações, era um jovem muito querido por todos e no dia do fato estava em confraternização na Gleba Cinco Mil, entre os municípios de Carlinda e Novo Mundo.

Na ocasião, houve uma brincadeira com uma jovem e o namorado dela, conforme testemunhas, não gostou, pegando um pedaço de madeira e acertando uma paulada na cabeça da vítima que foi socorrida já em estado grave e acabou dias depois não resistindo.

A Polícia Civil irá investigar o caso como homicídio.

Jornal da Cidade

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sexta-feira (13): Mato Grosso registra 504.544 casos e 13.133 óbitos por Covid-19
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA