CUIABÁ

Siga nossas redes

TECNOLOGIA

Xiaomi 12 pode trazer recarga rápida de 100 W e downgrade na tela

Publicado em

TECNOLOGIA


source
Xiaomi 11, antecessor do Xiaomi 12
Divulgação/Xiaomi

Xiaomi 11, antecessor do Xiaomi 12

O Xiaomi 12 ainda não foi anunciado, mas algumas pistas do celular já vieram a público . A expectativa é de que o smartphone da fabricante chinesa chegue às lojas com recarga rápida de 100 watts, superior aos 55 watts do Mi 11, e câmera tripla de 50 MP. Mas a tela tende a trazer uma resolução inferior em relação à geração anterior.

Os detalhes foram divulgados por Digital Chat Station nesta segunda-feira (22) pelo Weibo. Em uma publicação, ele relatou que o celular pode ter recarga rápida de 100 W e tela com resolução Full HD+. A especificação do painel, no entanto, seria inferior à resolução WQHD+ (3200 x 1440 pixels) encontrada na variante convencional do Mi 11.

Leia Também

Também pela rede social chinesa, o vazador trouxe detalhes sobre o conjunto fotográfico. Em uma imagem, ele demonstrou onde cada câmera deve ficar posicionada na parte de trás do celular. Em agosto, vale lembrar, Digital Chat Station também apontou que o smartphone da Xiaomi terá câmera tripla de 50 megapixels.

Leia Também:  Apple é condenada a indenizar consumidora por iPhone 11 sem carregador

O que esperar do Xiaomi 12?

O suposto Xiaomi 12 é um dos próximos celulares da marca chinesa. O sucessor do Mi 11 foi certificado em algumas regiões em novembro sob dois modelos: 2201122G e 2201123G. A expectativa é de que os códigos sejam destinados às versões globais do Xiaomi 12 e Xiaomi 12 Pro, respectivamente, que ainda serão anunciadas.

Além da câmera tripla, outras apostas giram em torno dos lançamentos. É o caso do suposto processador Snapdragon 8 Gen 1, sucessor do Snapdragon 888 que seria produzido em processo de quatro nanômetros. Mas os demais detalhes da ficha técnica, como a memória RAM, armazenamento e bateria, ainda não foram revelados. Espera-se que o smartphone seja anunciado nos próximos meses.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Google é obrigado a fornecer dados de usuários racistas e homofóbicos

Publicados

em


source
Google é obrigado a fornecer dados de usuários que fizeram comentários preconceituosos em vídeo no YouTube
Reprodução/Youtube

Google é obrigado a fornecer dados de usuários que fizeram comentários preconceituosos em vídeo no YouTube

A Justiça brasileira determinou que o Google deveria fornecer dados de usuários que fizeram comentários racistas, homofóbicos e de intolerância religiosa em um vídeo publicitário da empresa de alimentos saudáveis Liv Up no YouTube. A decisão, proferida pela 37ª Vara Cível de São Paulo, já foi cumprida.

A campanha é estrelada pelo humorista e digital influencer, “Esse Menino”, e pelo jogador da seleção masculina de vôlei, Douglas Souza, ambos LGBTQIA+. Os dois aparecem no vídeo usando maquiagem, unhas pintadas e acessórios. Além deles, fazem parte da publicidade, as também influencers Irina Cordeiro, que é uma mulher branca, e Tia Má, mulher negra.

O vídeo chama a atenção para alimentos “artificiais” e questiona os consumidores: “A vida é feita de escolhas. Que tal deixar a comida artificial para a loja de decoração?”.

Alguns usuários reagiram negativamente à publicação e usaram o espaço para fazer comentários preconceituosos. “Colocar um cara de batom e xuxinha? Isso ja passou dos limites. Agora é que eu não compro”, disse uma mulher. “Essas empresas modinha querem empurrar uma minoria goela abaixo como se fosse uma coisa normal”, afirmou um homem.

Em resposta, a Liv Up resolveu entrar com uma ação para conseguir identificar essas pessoas e responsabilizá-las pela atitude. A juiza responsável pelo caso, então, determinou que o Google deveria fornecer os dados socilitados sob pena de multa diária de R$ 5 mil. A dona do YouTube chegou a recorrer da decisão, mas o recurso não foi aceito.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA