Presos no Jacarezinho relatam socos, chutes, pisões e golpes com fuzil por policiais, diz MP
Trabalhadores nascidos em agosto podem sacar auxílio emergencial
Prefeito de Colíder se reúne com deputados Janaína Riva e Carlos Bezerra para tratar de emendas
Motociclista de 23 anos, morre após bater em caminhonete em Sinop
Publicado em 12/04/2021
SP volta à fase vermelha nesta segunda; veja o que abre e o que permanece fechado
Fase emergencial, iniciada em 15 de março, terminou neste domingo (11). Com a mudança, escolas podem voltar a receber alunos presencialmente e restaurantes têm autorização para oferecer serviço de ret
Brasil
SP volta à fase vermelha nesta segunda; veja o que abre e o que permanece fechado

Por G1

O estado de São Paulo retornou nesta segunda-feira (12) à fase vermelha da quarentena, na qual deve permanecer até 18 de abril.

A mudança permite o retorno das atividades presenciais nas escolas das redes pública e privada, desde que autorizadas pelas prefeituras, além da abertura de alguns serviços que estavam vetados e a retomada de competições esportivas profissionais

Veja mais abaixo o que muda na fase vermelha e tudo o que pode e o que não pode funcionar.

O fim da fase emergencial, que vigorou de 15 de março a 11 de abril, ocorreu após o estado registrar uma ligeira queda na taxa de ocupação dos leitos de UTI, que, no entanto, segue na faixa de 86%. A média diária de novas internações caiu de 2.732 em 15 de março para 2.715 em 9 de abril.

O número de casos e mortes pela doença também seguem altos no estado. Na última terça-feira (6), São Paulo registrou novo recorde ao atingir a marca de 1.389 mortes em 24 horas Já são mais de 80 mil mortes no estado desde o começo da pandemia, chegando a quase 83 mil neste domingo, e 2.643.534 casos confirmados da doença.

Na capital paulista, as escolas voltaram a receber alunos presencialmente nesta segunda. Já na rede estadual, os estudantes retornam às escolas a partir de quarta-feira (14).

O atendimento presencial em comércios, bares e restaurantes segue proibido em todo o estado.

 

Toque de recolher e rodízio na capital

Algumas restrições da fase emergencial, como o toque de recolher das 20h às 5h, foram mantidas na fase vermelha.

O cumprimento da medida continua a ser fiscalizado por uma força-tarefa composta por integrantes das vigilâncias sanitárias, da Polícia Militar e do Procon.

Na madrugada desta segunda-feira, uma blitz interrompeu mais uma balada ilegal na capital paulista. Mais de 130 pessoas foram flagradas em uma casa noturna no Capão Redondo, Zona Sul da cidade, sendo que 133 delas não usavam máscaras e várias dividiam narguilés.

Na cidade de São Paulo também permanece o esquema de rodízio noturno, que opera nos dias úteis, no sábado e nos feriados, das 20h às 5h, e não nos horários tradicionais - das 7h às 10h, e das 17h às 20h.

Veja abaixo o que muda e o que pode funcionar em cada fase:

 

O que muda:

  • Escolas poderão receber alunos presencialmente, desde que autorizadas pelas prefeituras e com até 35% dos alunos matriculados a cada dia;
  • Competições esportivas profissionais, como o Campeonato Paulista de Futebol, podem retornar, sem público;
  • Serviços de retirada (take-away) dos restaurantes e funcionamento de lojas de material de construção, embora já estivessem permitidos por meio de liminar judicial, agora passam a ser autorizados pela gestão estadual.

 

 

O que permanece:

  • Proibição de cultos religiosos presenciais;
  • Teletrabalho (home office) obrigatório para escritórios, atividades administrativas, repartições públicas, serviços de telecomunicações ou de tecnologia da informação (TI);
  • Recomendação do escalonamento de horários alternados para os setores de serviços, comércio e indústria;
  • Toque de recolher das 20h às 5h.

 

 

O que pode funcionar na fase vermelha?

  • Escolas e universidades (cursos da área da saúde);
  • Hospitais, clínicas, farmácias, dentistas e estabelecimentos de saúde animal (veterinários);
  • Supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres;
  • Delivery, retirada (take-away) e drive-thru para bares, lanchonetes e restaurantes;
  • Cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção;
  • Empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos;
  • Serviços de segurança pública e privada;
  • Construção civil e indústria;
  • Meios de comunicação, empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens;
  • Outros serviços: igrejas e estabelecimentos religiosos, lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica e bancas de jornais.

 

 

O que não pode funcionar na fase vermelha?

  • Academias;
  • Cultos, missas e celebrações em igrejas e templos religiosas;
  • Salões de beleza;
  • Cinemas;
  • Teatros;
  • Shoppings;
  • Lojas de rua com atendimento presencial;
  • Concessionárias de veículos;
  • Escritórios administrativos;
  • Parques;
  • Clubes.

´´G1/Globo``

URGENTE! Homem é assassinado a tiros em Nova Santa Helena.
Prefeito de Colíder se reúne com deputados Janaína Riva e Carlos Bezerra para tratar de emendas
Trabalhadores nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial
Motociclista de 23 anos, morre após bater em caminhonete em Sinop
Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira