Riva está a uma condenação em 2ª instância de ser preso
Menina de 11 anos relatava os abusos sexuais em diário; pai confessa que jogou feto em rio
Sistema prisional do Paraná garante acesos à educação
Secretaria de Saúde transfere R$ 9 milhões a 13 municípios de Mato Grosso
Publicado em 11/04/2019
Senadora Selma Arruda é cassada e fica inelegível
Ela diz que recorrerá à instâncias superiores
Política
Senadora Selma Arruda é cassada e fica inelegível
Após pouco mais de dois meses de mandato, a senadora Selma Arruda (PSL-MT) teve o mandato cassado pelo Tribunal Eleitoral (TRE-MT) do estado, nesta quarta-feira (10/4). Ela é acusada de omitir da Justiça despesas de R$ 1,2 milhão durante a campanha de 2018, o que configura caixa 2 e abuso de poder econômico. Selma será substituída por Gilberto Possamai, o primeiro suplente que foi o PSDB para o PSL.
 
Em nota, a senadora disse que vai recorrer. "Estou tranquila com a decisão proferida nesta quarta pelo Tribunal Regional Eleitoral. A tranquilidade que tenho é com a consciência dos meus atos, a retidão que tive em toda a minha vida e que não seria diferente na minha campanha e trajetória política. Respeito a Justiça e, exatamente por esse motivo, vou recorrer às instâncias superiores, para provar minha boa fé e garantir que os 678.542 votos que recebi sejam respeitados".
 
Relator do processo, o desembargador Pedro Sakamoto se manifestou a favor da perda do mandato de Selma ao apontar que ela teve gastos não declarados durante a campanha eleitoral. Não houve, segundo ele, qualquer registro dos R$ 1,2 milhão nos documentos contábeis apresentados ao Judiciário.
 

magistrados que compõem o pleno do tribunal. Eles não concordaram, no entanto, que a vaga fosse ocupada interinamente pelo terceiro colocado nas eleições do ano passado, Carlos Fávaro. Por maioria, decidiram que uma nova eleição deve ser realizada. Assim, Possamai poderá ser retirado do cargo.

 
O dinheiro que supostamente foi omitido por Selma Arruda corresponde a 72% do gasto declarado na campanha. "Saiu em larga vantagem em relação aos outros candidatos, ferindo o princípio da isonomia", disse o juiz relator. Selma e o suplente foram considerados inelegíveis e não podem concorrer nas próximas eleições. 
Fonte: Correio Brasiliense
Secretaria de Saúde transfere R$ 9 milhões a 13 municípios de Mato Grosso
Brasil perde 43 mil empregos em março
O povo denunciou ao Joel Teixeira e nova empresa que assumiu a emergência e UTI do HRCOL promete mais rapidez no atendimento
Após governo ceder, CCJ volta a tentar votar reforma da Previdência nesta terça
Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira