Tiroteio em bar termina com um morto e dois feridos em Lucas
Motociclista de 23 anos, morre após bater em caminhonete em Sinop
URGENTE! Homem é assassinado a tiros em Nova Santa Helena.
Trabalhadores nascidos em agosto podem sacar auxílio emergencial
Publicado em 04/05/2021
Professoras mortas em ataque a creche de SC são identificadas
Mirla Renner, de 20 anos e Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, foram mortas tentando salvar seus alunos
Brasil
Professoras mortas em ataque a creche de SC são identificadas

Elias Bielaski 

As duas professoras mortas durante atentado à Escola Infantil da cidade de Saudades, em Santa Catarina, foram identificadas pelo Polícia Civil. Mirla Renner, de 20 anos e Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, foram mortas com golpes de facão por um criminoso de 18 anos.

Ele invadiu a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, no município de Saudades, com menos de 10 mil habitantes. Após atacar Keli na entrada da escola, ele invadiu uma sala de aula e tirou a vida de Mirla e de três crianças, ainda não identificadas. Outra criança foi atacada mas não corre risco de vida.

O criminoso tentou tirar a própria vida na sequência e foi levado em estado gravíssimo para um hospital da região. O delegado responsável pelo caso se pronunciou no final da manhã:

"Ela era uma pessoa alegre, sempre disposta, simpática, carismática sempre, ajudando o próximo quando ela podia. Então, assim, é uma tristeza que eu não sei explicar, eu não tenho explicação para isso", disse a prima de Keli.

O ataque ocorreu pouco após às 10h e chocou a cidade com cerca de 10 mil habitantes, localizada na região de Chapecó, 60 quilômetros distante da capital Florianópolis. O serviço de emergência e a Polícia Militar foram acionados por volta das 10h30min por populares e quando chegaram no local, encontraram o jovem desacordado junto às vítimas que foram atacadas.

De acordo com o delegado regional de Chapecó, Ricardo Newton Casagrande, a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela atende crianças entre 6 meses e dois anos de idade.

“Chegamos lá, uma cena de terror. Consegui entrar na escola. Tinha um cara deitado no chão, mas ainda vivo, uma professora morta, uma criança morta também. A sala estava fechada, não deixaram a gente entrar.", disse a secretária de Educação do município, Gisela Hermann.

Uma das educadoras da Escola Infantil, que não estava no local no momento do ataque, relatou à imprensa que conversou com funcionárias sobre o ocorrido. Assim que o assassino entrou na escola e passou a atacar a primeira professora, funcionárias se trancaram em salas de aulas para esconder os bebês e os alunos mais novos.

O prefeito municipal, Maciel Schneider, também se manifestou sobre o ocorrido, decretou luto oficial e cancelou as aulas no município:

“É um momento muito triste na nossa pequena cidade. Colocamos todas nossas equipes para dar esse apoio, decretamos luto oficial, cancelamos todas as aulas essa semana. Colocamos nossas equipes de saúde [a disposição], psicólogos estão acompanhando as famílias."

O autor 

Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, foi identificado pela Polícia Civil; ele tentou se matar, logo após o crime, mas foi impedido por transeuntes, o jovem segue internado em estado gravíssimo. 

'cliccamaqua'

 

SP suspende preventivamente vacinação contra Covid de grávidas com comorbidades
Trabalhadores nascidos em agosto podem sacar auxílio emergencial
Carreta tomba na BR-163, pega fogo e motorista consegue quebrar o vidro e sair em Guarantã do Norte
Aumenta para 28 o número de mortos na operação policial sangrenta na favela Jacarezinho, RJ
Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira