CUIABÁ

Siga nossas redes

POLÍCIA

Polícia Civil identifica suspeito de furto e recupera objetos de vítima em Confresa

Publicado em

POLÍCIA


Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Confresa (1.160 km a nordeste de Cuiabá), esclareceu na quinta-feira (20.01), um furto ocorrido na zona rural do município com a identificação do suspeito e recuperação de diversos objetos subtraídos da vítima.

Como não estava em situação de flagrante, o suspeito será indiciado em inquérito policial pelo crime de furto. As pessoas que adquiriram os produtos furtados responderão pelo crime de receptação.

O furto ocorreu no início do mês de dezembro, no povoado “Pé de Caju”, na zona rural de Confresa. Na ocasião, o suspeito destelhou a casa para invadi-la, passando a usar a porta principal para acessar a residência e subtrair os objetos.

O boletim de ocorrência foi registrado somente na segunda-feira (17), tendo a vítima relatado que acreditava que o suspeito ficou morando na casa por alguns dias, uma vez que havia indícios que alguém estava cozinhando no local.

Assim que foi comunicada dos fatos, a equipe da Derf Confresa iniciou as diligências conseguindo identificar o autor do furto, que já havia vendido os objetos subtraídos para terceiros. Em continuidade as diligências, os policiais também identificaram os receptadores e recuperaram os objetos subtraídos, que foram restituídos à vítima.

Leia Também:  PM prende homem por porte ilegal de arma de fogo

O autor do furto, assim como os receptadores, foram conduzidos à Derf Confresa, onde foram interrogados pelo delegado Bruno Gomes Borges. Tanto o autor do furto quanto os receptadores confessaram seus devidos envolvimentos nos crimes.

Diante dos fatos, o suspeito por não estar em situação de flagrante responderá em inquérito policial pelo crime de furto, enquanto os demais conduzidos foram autuados em flagrante por receptação.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Polícia Civil apreende 74 quilos de pescado irregular na região de Barão de Melgaço

Publicados

em

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), deflagrou nesta sexta-feira (30.09) a Operação Espinhel Negro, na região de Barão de Melgaço, com objetivo de apurar situações de pesca predatória na região da baixada cuiabana.

A operação, que ocorreu de forma terrestre e fluvial em um pesqueiro da região, resultou na apreensão de mais de 74 quilos de pescado irregular, cinco armas de fogo, aproximadamente 1.000 munições, além de outros apetrechos. Dois homens foram presos em flagrante por crime ambiental de pesca predatória e posse ilegal de arma de fogo.

Na ação, os policiais da Dema deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão em um rancho na Colônia Santa Izabel, às margens do Rio São Lourenço. O alvo investigado foi localizado em uma canoa do outro lado da margem, sendo flagrado no momento em que retirava o espinhel de dentro do rio.

Em buscas nos barracões do pesqueiro, os policiais encontraram diversas munições e uma carabina de propriedade do investigado. Dentro de um freezer, foram encontradas diversas espécies de pescado congelado, inclusive um peixe da espécie dourado. Na parte externa do barracão, foi apreendida uma caixa de isopor com pescado fora de medida, em um total de 137 peixes e 74,10 quilos.

Leia Também:  Dois suspeitos de participação em chacina em Sinop são presos pela Polícia Civil

No veículo de um dos hóspedes, foram apreendidas armas de fogo, as quais ele alegou ser CAC e ter autorização de transportar, porém estava portando de forma irregular, uma vez que estava em lugar diverso do que poderia estar, sendo as armas entregues aos policiais.

Durante as buscas foram apreendidas cinco armas de fogo (uma pistola, uma carabina, duas espingardas e um revólver) e aproximadamente 1.000 munições sendo 556 calibre 22, 108 calibre 20, 111 calibre 38, 34 calibre 38 deflagradas, 94 munições 9 mm, quatro munições de festim, além de outros apetrechos como case para pistola e para revólver, sacola para munições, protetor de espingarda, luneta de mira laser, e carregadores de espingarda cinco armas de fogo.

Diante dos fatos, os suspeitos foram conduzidos à Dema, onde após serem interrogados, foram lavrados os respectivos flagrantes.

O nome da operação Espinhel Negro refere-se ao instrumento proibido para a pesca ainda muito utilizado na baixada Cuiabana. O apetrecho de pesca consiste numa corda e/ou arame comprido ao longo da qual são fixadas, de distância em distância, linhas munidas de anzóis.

Leia Também:  Patrulha Rural recupera 38 cabeças de gado furtadas de fazenda e prende dois homens

“Além de proibido, é perigoso, pois, os pescadores em regra o colocam de uma margem a outra no rio, o que ainda pode causar acidentes fluviais, além do dano ambiental à fauna”, explicou o delegado responsável pela operação, Alexandre Vicente.

“R9News”

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA