Gerente da fazenda é atingido por disparos de arma de fogo em Colniza
Massacre em Paracatu: homem mata a ex na casa dela e outros três em igreja evangélica ( veja vídeo )
Via Varejo fecha acordo de R$ 4,5 mi por assédio moral contra funcionários de lojas da Casas Bahia
Publicado em 26/02/2019
PF mira desvios em prefeituras; empresa fantasma levou R$ 2 mi
Órgãos públicos, empresas e residências são alvos de mandados de 13 mandados de busca e apreensão
Policia
PF mira desvios em prefeituras; empresa fantasma levou R$ 2 mi

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (26), a Operação Trapaça, com o objetivo de combater fraudes a licitações e desvio de recursos públicos.

Estão sendo cumpridos ao todo 13 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências localizadas nos municípios de Salto do Céu, Cáceres, Curvelândia e Nova Lacerda.

Os mandados  foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), com sede em Brasília, pois envolve investigados com foro privilegiado.

A operação, que iniciou a partir de encaminhamento de documentos da Controladoria Geral da União (CGU), visa angariar mais provas relacionadas aos crimes de fraude a licitações e desvio de recursos públicos praticados por suposta organização criminosa atuante no município de Salto do Céu e outros da região. 

Uma das supostas fraudes constatadas durante as investigações foi a identificação de uma empresa fantasma criada em nome de "laranja" para participar, em conluio com outras empresas de pequeno porte, de processos licitatórios realizados pela prefeitura de Salto do Céu.

As empresas investigadas concorriam entre si para dar aparência de legalidade, viabilizando as fraudes.

Em poucos meses de atuação, a empresa de fachada já ganhou mais de R$ 2 milhões em contratos de licitações possivelmente fraudadas, enquanto foi identificado que o seu sócio principal possuía um salário de apenas R$ 1,2 mil como tratorista.

Durante as investigações também foi identificado que uma  empresa pertencente a familiar de funcionário público ganhou várias licitações, possivelmente com favorecimento pessoal ou em razão de informação privilegiada.

Além das prováveis fraudes a licitações, suspeita-se que partes dos serviços de obras públicas contratados foram prestados com a utilização de maquinário e pessoal da prefeitura de Salto do Céu.

"Trapaça"

O nome da operação se refere ao próprio significado da palavra Trapaça, em alusão às ações ardilosas e de má-fé adotadas para direcionar obras e serviços para empresas do grupo alvo das investigações.

Fonte: Midia News

Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira