Diácono de igreja é preso em Lucas do Rio Verde acusado de estupro de Vulnerável em Nova Lacerda
Brasileiro trabalha 153 dias por ano para pagar impostos
Tio suspeito de estuprar sobrinhas em Sorriso é preso pela Polícia Civil
Confirmada a morte do ex-prefeito de Juina, Hermes Bergamim
Publicado em 02/11/2018
Onyx Lorenzoni, braço direito de Bolsonaro já recebeu verba indevida da JBS e patrocínio de indústrias de armas
Política
Onyx Lorenzoni, braço direito de Bolsonaro já recebeu verba indevida da JBS e patrocínio de indústrias de armas

Por: RBA - Rede Brasil Atual 

Anunciado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir a mais importante das pastas, a Casa Civil, o parlamentar gaúcho do DEM é membro da "bancada da bala" e já assumiu ter recebido verba indevida da JBS 

"Ora, sou um ser humano, portanto, não sou perfeito." As palavras são do deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ventilado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) como seu futuro ministroda Casa Civil. O parlamentar proferiu a frase em maio de 2017, quando admitiu ter recebido R$ 100 mil, fruto de corrupção, da JBS, depois de seu nome aparecer na delação dos controladores da empresa, Joesley e Wesley Batista.

O apontamento do deputado foi alvo de críticas mesmo de apoiadores da extrema-direita de Bolsonaro. Lorenzoni é ligado a pautas ruralistas e membro da chamada bancada da bala. Apoiou o governo de Michel Temer (MDB), votando a favor de pautas como reforma trabalhista e do Ensino Médio. Começou sua carreira política no Sindicato dos Médicos Veterinários e foi eleito pela primeira vez deputado em 2003, passando pelo PL, PFL e DEM.

Se nada mudar, agora ele deve trabalhar, a partir de janeiro, no Palácio do Planalto neste que é um dos mais importantes ministérios. Será responsável por acompanhar as demais pastas, articular relações com o Congresso, coordenar balanços de ações governamentais, auxiliar na tomada de decisões do presidente e nomear e exonerar funcionários.

Antes mesmo da eleição de Bolsonaro, Lorenzoni deu uma declaração de que demitiria 25 mil funcionários comissionados que estariam sob sua alçada. Entretanto, descobriu que existem menos de 23 mil, e reduziu a cifra para 20 mil. 

Em 2014, teve sua candidatura financiada pelas duas grandes empresas da indústria armamentista brasileira, a Taurus e a CBC. São empresas que estão vendo suas ações no mercado dispararem com a escalada de Bolsonaro. 

A formação do gabinete de Bolsonaro ainda é incerta. Pelas redes sociais, ele disse hoje (31) que não vai "nomear condenados por corrupção" e disse que existem "especulações maldosas". Para o cientista político Humberto Dantas, Lorenzoni já é do time, mesmo acusado de corrupção.

"As mídias (que denunciam a corrupção dos aliados de Bolsonaro) não são de esquerda, como acusariam alguns, as notícias não são falsas e a paciência que deve dar um voto de confiança ao novo presidente não condiz com o ódio de discursos eleitorais de seus eleitores e intolerância relevante com a corrupção", observou Dantas.

Corpo e veículo da empresaria desaparecida desde abril deste ano são encontrados
Diácono de igreja é preso em Lucas do Rio Verde acusado de estupro de Vulnerável em Nova Lacerda
Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira