Gilmar Mendes: Moro era ‘chefe da Lava-Jato’ e Dallagnol, ‘um bobinho’
Publicado em 23/01/2019
Juan Guaidó se declara presidente da Venezuela, mas Maduro resiste e dá 72 horas para autoridades americanas deixarem o país
Mundo
Juan Guaidó se declara presidente da Venezuela, mas Maduro resiste e dá 72 horas para autoridades americanas deixarem o país

Por Joel Teixeira

Em pronunciamento para manifestantes, Juan Guaidó que é presidente da Assembleia Nacional Constituinte declarou hoje, Presidente da Venezuela. "Na condição de presidente da Assembleia Nacional, ante Deus, a Venezuela, em respeito a meus colegas deputados, juro assumir formalmente as competências do executivo nacional como presidente interino da Venezuela. Para conseguir o fim da usurpação, um governo de transição e ter eleições livres", disse.

 Os Estados Unidos e Brasil reconheceram a legitimidade interina de Guaidó,  para o Palácio Miraflores, todavia o governo de Maduro não reconhece o parlamento.

Maduro faz pronunciamento à nação e diz que a atitude tomada pela Assembleia Nacional Constituinte é resultado de uma “tramoia” orquestrada e planejada pelos EUA: "Temos denunciado o governo imperialista dos EUA que dirigem uma operação para impor um golpe de estado na Venezuela. Pretendem eleger e designar o presidente da Venezuela por vias não constitucionais. Pode “um qualquer' se declarar presidente ou é o povo que elege o presidente?"

Houve manifestantes favoráveis a Guiadó e chavistas que apoiam o atual governo.

Maduro, acaba de declarar que autoridades americanas na Venezuela tem 72 horas para deixar o país. Recém-empossado para o segundo mandato, no dia 10 de Janeiro, o cargo é para até 2025. As eleições foram marcadas por fortes suspeitas de fraudes.

O Itamaraty, afirmou em nota: "O Brasil reconhece o Senhor Juan Guaidó como Presidente Encarregado da Venezuela. O Brasil apoiará política e economicamente o processo de transição para que a democracia e a paz social voltem à Venezuela." 

O grupo de 12 países, conhecido como Grupo de Lima, incluindo o Brasil, e , a OEA ( Organização dos Estados Americanos) também não reconhecem o governo de Maduro.

A Venezuela enfrenta uma grave crise econômica e social, com inflação que ultrapassa 1.000.000% ao ano, entrou em colapso, com falta de alimentos e produtos básicos de higiene, a oposição ao governo denuncia perseguições constantes, desde o início do governo de Maduro. Prisões de adversários polítcos dele não são novidades. A Venezuela vê o êxodo de milhões de seus cidadãos partirem para países vizinhos, como Brasil e Colômbia em busca de  melhores condições de sobrevivência.

Hoje a Venezuela comemora os 60 anos da queda da ditadura de Marcos Pérez Jiménez, a 23 de Janeiro de 1958, pelo menos quatro mortos foram contabilizados nas manifestações favoráveis e contra o governo bolivariano.

A reação

Segundo fontes ligadas à imprensa e inteligência internacionais, Maduro mandou prender Juan Guiadó.

Veja vídeo da declaração de Juan Guiadó como Presidente da Venezuela

 

 

Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira