Publicado em 04/10/2017
"Floresta Virtual": PF diz que o rombo com fraudes no sistema florestal de Mato Grosso e Pará, passa de R$ 1 bilhão
Empresários e engenheiros florestais são alvos da operação
Meio Ambiente

Por: Joel Teixeira

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) e a Polícia Federal iniciaram na terça-feira (3) a Operação Floresta Virtual que visa fraudes nos controles florestais, Sisflora-MT, Sisflora-PA e “DOF”.

Os crimes do “esquenta notas”, praticado por madeireiros e engenheiros florestais, segundo a PF, passam de R$ 1 bilhão.

Segundo a Polícia Federal, o esquema envolvia madeireiras de baixa produção que serviam para gerar dados fraudulentos para créditos florestais. Todas em nomes de “laranjas”. Os produtos florestais eram tirados de reservas florestais, áreas indígenas e terras apenas com documentos de compra e venda, sem nenhuma qualificação para extração legal de madeira. Os créditos fraudados seguiam com “aparência legal” à empresas de grande produção madeireira que os usavam para enviar produtos ilegais ao mercado.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Cuiabá, Sinop, Santa Carmem, Itaúba e Nova Monte Verde.

 

Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira