Homem negro é espancado até a morte em Carrefour do RS; assista
Publicado em 12/11/2020
Casa Branca ordena que governo dos EUA prepare orçamento como se Trump tivesse ganhado, diz jornal
Segundo o 'Washington Post', diretiva é mais um exemplo que o presidente americano age como se tivesse sido reeleito. Biden foi apontado como vencedor no sábado
Local
Casa Branca ordena que governo dos EUA prepare orçamento como se Trump tivesse ganhado, diz jornal

Por G1

A Casa Branca instruiu as agências federais americanas a continuar preparando a proposta de orçamento para o próximo ano fiscal, segundo o jornal "The Washington Post", o que mostra que o governo Trump segue se recusando a reconhecer a derrota nas eleições para o democrata Joe Biden.

O ano fiscal americano começa no quarto trimestre de 2021 e avança para 2022, e a proposta de orçamento precisa ser enviada ao Congresso até fevereiro.

Como o próximo mandato começa em 20 de janeiro, o futuro governo tem tempo hábil para preparar o documento e enviá-lo ao Congresso. Mas a atual administração segue agindo como se o republicano Donald Trump sido reeleito

Impasse na transição

Desde que Joe Biden foi projetado no sábado (7) o vencedor da disputa nos Estados Unidos, a agência que poderia acelerar a transição de governo nos EUA se recusa a iniciar processo.

Nesta quinta-feira (12), a rede de televisão CNN revelou que o Departamento de Estado americano (o equivalente ao Itamaraty) está impedindo que o presidente eleito tenha acesso a várias mensagens de líderes mundiais enviadas a Biden.

Na terça-feira (10), o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse que estava pronto para "iniciar a transição para um segundo mandato de Trump". Apesar da declaração do chefe da diplomacia americana, Biden já recebeu telefonemas e mensagens de diversas lideranças mundiais, exceto dos presidentes Jair Bolsonaro (Brasil), Vladimir Putin (Rússia) e Xi Jinping (China).

'Fingindo que nada aconteceu'

A decisão da administração federal de prosseguir com o orçamento de Trump para o ano fiscal de 2022 irritou e surpreendeu vários funcionários de carreira, segundo o "Washington Post".

"Eles estão fingindo que nada aconteceu", afirmou ao jornal, sob condição de anonimato, um funcionário do escritório de orçamento da Casa Branca. "Todos nós devemos fingir que isso é normal e fazer todo esse trabalho, mesmo sabendo que vamos ter que jogá-lo fora".

Questionado pelo "Washington Post" se o planejamento do orçamento fiscal de 2022 estava ocorrendo conforme planejado, um porta-voz do departamento da Casa Branca disse: "Claro".

Biden ignora resistência

Apesar da resistência do governo Trump em aceitar a derrota, Biden afirmou na terça-feira (10) que "já começamos a transição". O presidente eleito dos EUA minimizou a resistência do Partido Republicano em iniciar o processo e disse que isso "não causa muitas consequências".

Na segunda-feira (9), a equipe de transição anunciou o conselho consultivo para medidas de combate à pandemia. Entre os membros está a brasileira Luciana Borio, pesquisadora sênior de saúde global do Conselho de Relações Exteriores dos EUA.

Na campanha, Biden prometeu uma estratégia completamente diferente da adotada por Trump contra a Covid. Essa era uma das principais promessas do democrata.

´´G1/Globo``

Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira