As notas frias de Aécio Neves e a "Operação Ross" da Polícia Federal
Confusão durante show na Itália termina com 6 mortos e dezenas de feridos
Maníaco ataca duas mulheres em Colider
Veja vídeo - A prefeitura de Colíder e as PPP's
Publicado em 05/12/2018
Carrefour e Prefeitura de Osasco divergem sobre morte de cachorro
Rede de supermercados afirma que cachorro desfaleceu após atendimento do Centro de Zoonoses; Prefeitura desmente
Geral
Carrefour e Prefeitura de Osasco divergem sobre morte de cachorro

A rede supermercadista Carrefour se posicionou após a divulgação de imagens que mostram um funcionário segurando uma barra de ferro e espantando um cachorro em frente a uma unidade na cidade de Osasco, em São Paulo, na última sexta-feira (30).

Segundo ativistas pelo direito dos animais, o cão foi espancado e envenenado por um dos seguranças do local. Em nota, o Carrefour admite que um funcionário terceirizado afastou o animal da entrada da loja e  “que esta abordagem pode ter ocasionado um ferimento na pata do animal.”

Porém, a rede nega qualquer outro maltrato e afirma que a retirada do cachorro do local foi realizada por servidores do Centro de Zoonoses de Osasco. “No entanto, no momento da abordagem dos profissionais do órgão para imobilização o cachorro desfaleceu em razão do uso de um ‘enforcador’, tipo de equipamento de contenção.”

Em resposta, o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal de Osasco também lançou um comunicado afirmando que os agentes encontram o cachorro já sangrando e com outros indícios de violência. Não há relato sobre o uso de um “enforcador” para controlar o animal.

“O animal deu entrada consciente no departamento em decúbito lateral (deitado de lado), mucosas anêmicas, hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas. Apesar do tratamento instituído o animal veio a óbito.”

A Polícia Civil está investigando o caso. A pena para maus-tratos contra animais varia de três meses a um ano de prisão.

Leia abaixo as duas notas na íntegra:

Nota do Carrefour

A rede repudia qualquer tipo de maus-tratos contra animais. Comprometido em manter a todos informados sobre o episódio ocorrido na loja de Osasco, nossa apuração preliminar apontou que o cachorro estava circulando pelo estacionamento há alguns dias.

O Centro de Zoonoses de Osasco foi acionado por diversas vezes, mas não recolheu o animal. No dia do incidente, clientes se queixaram sobre a presença do cachorro, e, novamente, o órgão foi acionado. Um funcionário de empresa terceirizada tentou afastá-lo da entrada da loja e imagens mostram que esta abordagem pode ter ocasionado um ferimento na pata do animal.

O Centro de Zoonoses de Osasco foi acionado novamente e compareceu ao local para recolhê-lo. No entanto, no momento da abordagem dos profissionais do órgão para imobilização, o cachorro desfaleceu em razão do uso de um “enforcador”, tipo de equipamento de contenção.

A Delegacia especializada de Osasco (D.I.I.C.M.A.) abriu inquérito e está investigando o caso. Estamos colaborando com as autoridades, disponibilizamos todas as informações e imagens para que o fato seja solucionado.

Nota da Prefeitura de Osasco

Em resposta à nota divulgada pelo Hipermercado Carrefour, esclarecemos que o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal esteve no local em atendimento a solicitação da Central 156 (Protocolo 2726381), cadastrada às 9h24 do dia 28/11/2018, para prestar atendimento a um cachorro ferido e sangrando. O comparecimento da equipe no local da ocorrência foi por volta das 10h.

A equipe esteve no local e constatou a existência de um animal de espécie canina com sangramento intenso. O manejo foi realizado por um oficial de controle animal qualificado e o animal foi encaminhado ao departamento para atendimento emergencial.

O animal deu entrada consciente no departamento em decúbito lateral (deitado de lado), mucosas anêmicas, hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas. Apesar do tratamento instituído o animal veio a óbito.

No dia 1/12/2018, o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal passou a receber informações que se tratava de um caso de maus tratos e foi iniciado a apuração do caso com solicitação de inquérito policial.

O inquérito policial está sob responsabilidade da Delegacia Especializada de Osasco. Somente o inquérito poderá indicar as causas da morte e a quem cabe a responsabilidade.

Fonte: Istoé

 

Identificado atirador que matou quatro e feriu mais três pessoas na catedral Metropolitana em Campinas
Segurança ou controle? China vira referência na era dos "olhos cibernéticos"
TV NOTÍCIAS fala com Lindomar Jaburu, o jardineiro de Jaciara que escreveu “Felis Natal” e virou meme nas redes sociais
Morre o médico clínico geral Masamitsu Takano
Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira