Suspeito de assalto à residência em Nova Santa Helena é preso em Colíder
Assista! Secretário Estadual de Cultura, Esporte e Lazer, visita Colíder
Câmara Itinerante: Vereadores participam nesta sexta do 1º Governo Itinerante da Prefeitura de Colíder
Boletim médico diz que quadro clínico do apresentador Chico Tello é muito grave
Publicado em 10/05/2021
Butantan entrega 2 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta segunda
Instituto deve concluir entrega das 46 milhões de doses previstas no primeiro contrato com o governo federal até quarta (12). Envase de vacina foi suspenso na semana passada e deve ser retomado após o
Brasil
Butantan entrega 2 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta segunda

Por G1

O Butantan entrega nesta segunda-feira (10) mais 2 milhões de doses CoronaVac, vacina contra Covid produzida pelo Instituto em parceria com o laboratório Sinovac, ao Ministério da Saúde.

Com o novo carregamento, o total de vacinas oferecidas por São Paulo ao Plano Nacional de Imunizações (PNI) chega a 45 milhões de doses desde o início das entregas, em 17 de janeiro.

Na quarta (12), serão enviados mais 1 milhão de doses. Os novos lotes permitirão ao Butantan concluir o primeiro contrato firmado com o governo federal para o fornecimento de 46 milhões de doses, que sofreu atraso de algumas semanas após problemas com a entrega de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) vindos da China.

O governador João Doria (PSDB) esteve no local e acompanhou o carregamento dos caminhões. Durante coletiva de imprensa nesta manhã, Doria voltou a criticar as falas do presidente Jair Bolsonaro em relação ao governo chinês. Ele defendeu que tal postura dificulta a liberação dos insumos e o avanço da produção da vacina no Brasil.

Na semana passada, o diretor do Instituto, Dimas Covas, alertou sobre o risco de o país ficar sem receber o insumo e que tal problema seria consequência das declarações desastrosas da gestão Bolsonaro.

A China é fornecedora de insumos para a produção tanto da CoronaVac, do Instituto Butantan, como da vacina de Oxford, produzida pela Fiocruz.

A CoronaVac representa mais de 75% das vacinas aplicadas no país.

 

Matéria-prima

Até o dia 15 de maio, o Butantan deve receber um novo lote de insumo para retomar a produção da CoronaVac, que foi suspensa na última quinta (6), por conta de atrasos na chegada da matéria-prima.

O Instituto é parceiro do laboratório chinês Sinovac, e responsável pela etapa final de produção do imunizante no país, que consiste no envase, rotulagem e testes de qualidade.

Segundo o Butantan, foi solicitado à Sinovac o envio de 6 mil litros, que daria para produzir aproximadamente 10 milhões de doses. Desse montante, 3 mil já deveriam ter sido entregues no final de abril, mas não foram liberados no prazo por conta de questões burocráticas do sistema de exportação chinês.

 

Veja abaixo as entregas de doses do Butantan ao ministério:

  • Janeiro: 8,7 milhões
  • Fevereiro: 4,583 milhões
  • Março: 22,7 milhões
  • 5 de abril : 1 milhão
  • 7 de abril : 1 milhão
  • 12 de abril : 1,5 milhão
  • 14 de abril: 1 milhão
  • 19 de abril: 700 mil
  • 22 de abril: 180 mil
  • 30 de abril: 420 mil
  • 6 de maio: 1 milhão
  • 10 de maio: 2 milhões
  • 12 de maio: previsão de entrega de 1 milhão

´´G1/Globo``

Boletim médico diz que quadro clínico do apresentador Chico Tello é muito grave
Seis homens somem após PM ser chamada para evitar roubo em MT
Marcelândia: Homem é preso após manter esposa em cárcere privado e ameaça-la com pistola
Serial killer Lázaro Barbosa é suspeito de assassinato em Cocalzinho quatro dias antes da chacina em Ceilândia
Notícias com enfoque no Estado de Mato Grosso
Todos os direitos reservados ao Grupo Joel Teixeira